domingo, 19 de abril de 2015

CTG confirma show de humor com Paulinho Mixaria

ROLIM DE MOURA



Humorista fará apresentação especial no dia 10 de julho deste ano no Centro de Tradições Gaúchas da cidade

Da Assessoria

O Centro de Tradições Gaúchas de Rolim de Moura, CTG Sentinela da Fronteira, confirmou para o dia 10 de julho próximo, a partir das 19h30, o show com o humorista gaúcho Paulinho Mixaria. O artista percorre o Brasil inteiro cantando suas músicas e contando piadas, fazendo uma espécie de stand-up comedy com temas gerais, mas sempre com a identidade sul-rio-grandense.
Para o patrão do CTG, empresário Benedito José da Mota, a apresentação marcará história na região, uma vez que é a primeira vez que o artista faz uma apresentação na cidade. “O Mixaria é fantástico. Dificilmente alguém que não saia de um show dele com a barriga doendo de tanto rir. E é isso que o público rolimourense terá nesse dia”, argumenta.
Ainda segundo o patrão, mesas para o show do humorista já estão sendo vendidas a R$ 250,00 (para quatro pessoas, já inclusas porções de frios e refrigerante) e os ingressos avulsos ao custo de R$ 75,00 através do telefone (69) 3442-1565, direto da secretaria do CTG. Mais informações também podem ser tiradas através do WhatsApp (69) 8472-9211.

Histórico do artista

Paulo Roberto Alves da Silva, conhecido como Paulinho Mixaria, nasceu na cidade de Taquari/RS, no dia 05 de outubro de 1969, mas saiu aos quatro anos de idade indo morar em Parobé/RS onde ficou até os 18 anos para então ir até Gramado/RS onde vive até hoje.
Começou a compor poesias e músicas aos 11 anos de idade, tendo lançado quatro livros. Três são de poesias regionais gaúchas e um de piadas e sonetos. Todos de produção independente e esgotados. Desde essa época manteve o sonho e a vocação para ser humorista. Um dos públicos que se pode encontrar nos seus shows são as crianças, coisa rara no cenário do humor atual.
O humorista sempre prezou por uma imagem abrangente a todos os públicos e evitar palavrões nos seus espetáculos é um princípio que ele não abre mão. Outro fato importante é que suas piadas não fazem alusão a nenhum estereótipo que não o próprio jeito engraçado e simples do personagem, uma pessoa humilde, do interior e que não fica restrita apenas ao gaúcho. O personagem ‘Paulinho Mixaria’ pode ser qualquer pessoa ingênua, vinda do interior e que pode ser bem mais inteligente que aparenta.
Em 1997 gravou “Paulinho Silva e… As Grosserias do Tio Juca”, seu primeiro disco. Mais dois foram lançados. Porém, o sucesso só chegou no volume 4: “A Fetocópia da Maleza” em dezembro de 2002. A partir daí o Rio Grande do Sul todo conheceu o trabalho do humorista, que já conquistou todo o país, fazendo shows em todos os estados das regiões Sul, sudeste e centro-oeste, além de Rondônia.
Os lançamentos posteriores “Tem tudo pá piorá” e “Seriamente Divertido” vieram para confirmar o talento grandioso e raro do gaúcho interiorano de 44 anos, que faz todas as gerações rirem sem necessitar de palavrões ou ofensas a raças, classes ou povos.




Pastor se casa com o cunhado e pede a guarda dos filhos


Sábado, 18 de Abril de 2015 / 11:38

de 38. Flávio Serapião Birschiner estava casado há dois anos com Ana Paula Rochinha Birschiner.


O casamento parecia um conto de fadas até aparecer o ‘Lobo Mau’. Pedro Rochinha Siqueira, irmão de Ana Paula, e até então melhor amigo e único confidente, hoje é odiado pelas duas famílias. Pedro Rochinha era conhecido na comunidade de Jardim Clodoaldo como um pastor íntegro e milagreiro. Em seus testemunhos se apresentava como ex-homossexual, e creditava ao espírito santo a reorientação de seu desejo sexual.

Ele que por oito anos se apresentou em boates gays sob o pseudônimo de Shirley Mac Lanche Feliz, depois de convertido virou o Pastor Rochinha. Com fama nacional por muitas vezes compareceu na qualidade de debatedor de temas ligados a ‘Religião & Sexualidade’ no programa Superpop da Rede TV.

Ana Paula acredita que seu casamento se desfez pela constante recusa em praticar sexo anal com o marido. Ela revela que “ele era obcecado por sexo anal. Eu sempre disse não por que acredito que ali não é lugar de entrar nada”. Ela ainda afirma que confidenciou isso ao irmão que a disse: “não deixa mesmo não, além de ser pecado isso é sujo. E se der uma vez ele vai querer sempre”.

Ana Paula acha que seu irmão se valeu desta informação para oferecer ao marido um diferencial competitivo. Flavio deu entrada na justiça em um pedido de guarda definitiva dos filhos gêmeos por acreditar que “é melhor um filho ser criado pelo pai e pelo tio do que por uma mãe solteira”.

Fonte: Paraiba.com

sábado, 18 de abril de 2015

Novos médicos vão ter autonomia mais cedo e entram logo para a especialidade

As regras têm um período de transição de três anos, até 2017 DR
Os jovens médicos que terminarem a partir de agora o mestrado integrado em medicina vão continuar a formação com novas regras. Uma das mudanças está na eliminação do chamado “ano comum”, que os clínicos tinham de fazer antes de se candidatarem a uma especialidade. Além disso, só ao fim de dois anos de formação prática é que podiam trabalhar de forma autónoma e esse período passa a ser de apenas um ano.
As alterações fazem parte do novo regime jurídico da formação médica especializada aprovado na quinta-feira em Conselho de Ministros. De acordo com o diploma, além do fim do ano comum e da autonomia mais cedo, as novidades passam também por novas regras para aceder ao internato médico, que consiste na formação para os médicos obterem o título de especialista na área escolhida. Vai passar a haver um único concurso de acesso e um novo modelo de prova nacional “mais ajustado às necessidades de demonstração do domínio de competências específicas relevantes para efeitos de ingresso em área de especialização médica”.
Para a entrada no internato passam também a contar outras variáveis, como a classificação que os médicos obtiveram durante o curso e não apenas na prova nacional “relevando-se, assim, igualmente, o percurso académico do candidato”, explica o decreto-lei que resulta das propostas de um grupo de trabalho criado em 2011 para este efeito.
Quando a objectivos, a tutela explica que “o diploma agora aprovado altera de forma estrutural o regime do internato médico até aqui em vigor, procurando a melhoria das condições da formação médica pós-graduada, a harmonização face a novas realidades jurídicas e a adopção de uma nova abordagem, com vista a responder mais adequadamente às necessidades dos candidatos e das unidades de saúde do Serviço Nacional de Saúde”.
Prevês-se um período de transição para este novo regime, com o ano comum a deixar de existir de forma progressiva no prazo de três anos, até 2017, altura em que todos os médicos que acabem o curso passam a fazer uma entrada directa nas especialidades. A autonomia ao fim de um ano entra, contudo, já em vigor. Por outro lado, a prova nacional deverá arrancar dentro de três anos e “poderá ter carácter eliminatório – com nota mínima de ingresso”. No entanto, ainda as regras mais exactas sobre o exame serão regulamentadas posteriormente.
Outro ponto que o decreto altera diz respeito às capacidades de formação das unidades de saúde e prevê que “os serviços e estabelecimentos que individualmente não disponham de capacidade total, possam agrupar-se por critérios de complementaridade dos serviços médicos de que dispõem e da área geográfica que servem”. A ideia é que um hospital deixe de ter de formar os seus internos durante todo o percurso e possa fazer parceria com outras unidades para que os médicos realizem nesses locais parte da sua formação.
       

TÔ NEM AÍ

É COM VOCE LOMBARDE

De olho em 2016, Executiva Municipal do PR define planejamento para fortalecimento do partido

1742015-183401-vere_jai.jpg

No final da tarde desta sexta– feira, o presidente da Executiva Municipal, Geraldo Sena, recebeu os correligionários na sala de reunião da Câmara de Vereadores de Porto Velho, para juntos, traçarem as metas para a campanha de filiação estadual, a plenária regional e a ratificação do nome do vereador Edwilson Negreiros como representante da sigla junto a administração municipal.

Único membro do partido no exercício de mandato em Porto Velho, o vereador Edwilson Negreiros fez questão de ressaltar a importância do encontro e a disposição de cada membro nesse processo de fortalecimento do PR. “Juntos somos fortes e só assim temos condições de crescer. Temos u desafio enorme pela frente, que é o do expandir nossa bandeira. O PR é grande e aqui em Rondônia, precisa ocupar seu lugar. Convoco a todos vocês para juntos trabalharmos para o engrandecimento da nossa casa, que é esse partido, e assim, defendermos com mais consistência as nossas propostas. 2016 vem ai e tenho certeza que será um ano vitorioso para o PR”, disse o vereador ao saudar seus correligionários.

A vice presidente regional do partido, Jaqueline Cassol, participou do encontro representando o presidente, o deputado federal Luiz Cláudio.

Até o final do primeiro semestre, o PR deve realizar uma plenária estadual, com a participação dos representantes de todos os diretórios no estado, para juntos, definirem os rumos do partido para 2016.
Fonte: RONDONIAGORA
Autor: RONDONIAGORA

Por Piero Valmart...

Tentação

 
Não me tente, ó menina,
Com essa beleza divina
Que me mostra, quase nua... 
Não me tente, que enlouqueço,
E dos pudores esqueço,
Ante o que me insinua...

Há tempos que a desejo,
Sonho doido com seu beijo,
Sua boca de sedução...
E agora a vejo assim,
Projetar-se sobre mim,
Com tanta provocação...

Se me tenta, desejosa,
Qual uma gata manhosa,
Com tanta desfaçatez,
Vou deitá-la sobre a relva
E qual as feras na selva,
Possuí-la de uma vez!

Grupo Cesar Cassol inaugura usina hidrelétrica

EMPREENDEDORISMO

Grupo Cesar Cassol inaugura usina hidrelétrica

PCH Cesar Filho recebeu a visita do governador Confúcio Moura e prefeitos da região
  



Da Assessoria

O Grupo Cesar Cassol inaugurou na manhã desta quinta-feira (16) sua segunda usina hidrelétrica, a PCH Cesar Filho. O empreendimento, que tem capacidade de geração de oito megawatts de energia, foi construído no município de Chupinguaia, sobre o Rio Taboca e faz parte ao Sistema Nacional Interligado, produzindo eletricidade para todo o país.
A cerimônia de inauguração contou com a presença do empresário Cesar Cassol, de seu filho Rodrigo Cassol, diretor operacional da usina, o governador Confúcio Moura, além de deputados estaduais, prefeitos e vereadores da região. Todos puderam conhecer passo-a-passo o funcionamento dos equipamentos que utilizam a força da queda d’água para gerar energia limpa e barata.
Em seguida o grupo fez uma visita também à nova usina de extração e beneficiamento de calcário que o grupo constrói no município de Parecis. Lá puderam conhecer também uma das maiores jazidas do minério que é utilizado para o melhoramento do solo. Em seu discurso, Cesar falou das melhorias que a nova indústria trará para Rondônia.
“Conversei com meus filhos e decidimos investir aqui nessa região, que é onde escolhemos para morar, onde está nossa vida. Poderia ter levado esse investimento para Goiás, mas Rondônia é a nossa casa. Com a instalação dessa usina de calcário, nosso estado poderá ter um crescimento global de até 25% nos próximos anos”, argumentou o empresário.
O contexto que o empreendedor se refere é do uso do minério para a recuperação das pastagens, ação que tem reflexos direto na engorda do gado de corte e no aumento da produção do gado de leite – principais fontes da economia rondoniense – além do incremento nas demais culturas regionais. Impressionado com o tamanho do projeto, Confúcio diz que fará propaganda do empreendimento.

“É algo fantástico. O Cassol (Cesar) parece ter uma calculadora financeira na cabeça, ele sabe ganhar dinheiro. Isso tenho inveja boa dele. No mais só tenho que agradecê-lo pelo empreendimento que constrói aqui em Rondônia, gerando emprego e que vai num médio prazo melhorar e muito nossa economia. Eu vou recomendar e divulgar essa indústria onde for”, enfatizou o governador.

SE TIVER MENOS DE 18 ANOS POR FAVOR NÃO ABRA

Gracyanne Barbosa Nua - Ensaio para Revista Sexy (Making Of - Dezembro 2011) Videolog amdal


Tags: barsex

Presidente do BNDES desmonta mentira de Dilma Rousseff sobre o porto que o governo brasileiro doou à ditadura cubana


Sofia Vergara, de “Modern Family”

Material de Imprensa - Rotary Club - Rolim de Moura‏


FUTSAL

 
Vem aí 28ª Edição da Copa Rotary/Rolim Credi, edição indústria e comércio
Competição mais tradicional da zona da mata rondoniense será realizada de 14 de maio à 16 de junho deste ano


Da Assessoria

O Rotary Club de Rolim de Moura confirmou para o período de 14 de maio a 16 de Junho (toda Terça e Quinta-Feira) a copa de futebol de salão que leva o nome da entidade. Esta será a 28ª edição da competição quese transformou na mais tradicional e longevada zona da mata rondoniense. Este ano o Rotary conta com o patrocínio Master da Cooperativa Rolim Credi.

O novo formato da Competição será composta de 12 equipes/empresas disputando o título e a premiação, mas com uma diferença: os times inscritos serão baseados na indústria e no comércio do município.

De acordo com o presidente da copa, empresário Sérgio Fank, as inscrições estão abertas para empresas ou entidades organizadas que queiram entrar com equipes. Explica que a inscrição de atletas deverá seguir as normas do regulamento do torneio que foi pré-estabelecido pela comissão organizadora. Ele explica que haverá a premiação especial de R$ 2 mil para o campeão, além de troféus e medalhas para goleiro menos vazado, artilheiro, equipe disciplina e atleta revelação.

“Essa será uma edição diferente da Copa Rotary/Rolim Credi. Ao invés da competição aberta, faremos exclusivamente com equipes formadas por funcionários das empresas do comércio e das indústrias de Rolim de Moura. É um modelo que agrega muito em termos de público, uma vez que as famílias vão até o ginásio para ver seus parentes jogarem. Por isso aqueles que quiserem inscrever sua equipe me procure, inscrições pelo telefone 3442-2727 na Morcegão Motos ou 8489-1001”, explicou Sérgio.

Como em todos os anos, a entidade também manterá a venda de bebidas, alimentos e espaços publicitários no ginásio “Ninho do Pássaro”, local dos jogos. O objetivo é arrecadar recursos para o custeio de ações sociais do Rotary no município, como a manutenção da Pastoral do Menor. Do montante arrecadado também, R$ 5 mil já fora destinado para reparos na quadra de esportes do Centro Educacional de Rolim de Moura (CER).

Jairo Benetti é reeleito presidente da União de Câmaras e Vereadores de Rondônia

Exibindo Imagem 206.jpg
  Logo após a realização do 1º Seminário de Políticas Públicas do Estado de Rondônia, promovido pela União de Câmaras e Vereadores de Rondônia – UCAVER, foi realizado no auditório da Ordem dos Advogados do Brasil – OAB, Seccional de Porto Velho, a eleição para a Diretoria Executiva UCAVER, para dirigir a entidade no biênio 2015/2016.Exibindo Imagem 183.jpg
  Depois de ter presidido a entidade no período de 2013 e 2014, e realizado um grande trabalho voltado ao fortalecimento do legislativo estadual, com a realização de vários cursos, especialmente na região sul do estado e vale do Guaporé, buscando a modernização do poder legislativo, o vereador pelo município de Rolim de Moura, Jairo Primo Benetti – PSD foi reconduzido ao cargo por unanimidade dos vereadores presente ao evento.
  Além da presença maciça de vereadores, haja vista, que mais de 40 câmaras estiveram ali representadas pelos seus presidentes, vereadores e até, assessores legislativos que foram enviados para participar do seminário e consequentemente da eleição da mesa diretora, proporcionando um número significativo jamais visto em encontros dessa natureza, pois mais de trezentos vereadores estiveram presentes.O evento contou ainda com as presenças do Vice Governador do Estado Daniel Pereira, do Presidente da Assembleia Legislativa Maurão de Carvalho, do Presidente da Associação de Municípios de Rondônia Marinho da Caerd do município de Machadinho do Oeste, além de várias outras autoridades que fizeram questão de levar seu apoio não somente ao evento, mas também a reeleição do presidente Jairo Benetti.
Uma das presenças também de muita importância, foi a do Presidente da UVB, União de Vereadores do Brasil, Gilson, que atendendo ao convite formulado pelo Presidente da Ucaver Jairo Benetti, foi um dos palestrantes durante o seminário. Já o presidente da Assembleia Legislativa Maurão de Carvalho, ao usar o microfone, destacou:“As cobranças sobre os vereadores são muitas e não é fácil realizar um mandato produtivo, quando não se tem a parceria do prefeito para desempenhar ações que beneficiem a comunidade”, observou o Deputado, acrescentando que apesar das dificuldades, os Parlamentos são instâncias importantes para a consolidação da democracia. “Quanto mais fortes os Legislativos, mais sólida são a democracia e as instituições”, completou.
Maurão de Carvalho reafirmou aindao seu empenho para que a Ucaver possa conseguir um espaço para receber a sua sede. “Tenho buscado junto ao Governo um local para abrigar a associação, permitindo que os vereadores que vêm do interior tenham uma base de apoio”, finalizou.
  No final Jairo Benetti foi empossado para continuar na frente da Ucaver, “agradeço a presença de todos e, a partir de agora espero que realmente possamos somar forças para buscarmos aquilo que é de direito do parlamento mirim, e que as ações que pretendem enfraquecer o poder legislativo, aqui elencadas pela maioria dos que usaram da palavra, sejam combatidas através da força e da união aqui demonstrada levando nossas insatisfações aos nossos representantes maiores e cobrando posicionamento, pois somos nós que estamos ligados diretamente no dia a dia à população e conhecemos os seus reclames e suas necessidades”, disse Jairo agradecendo ainda a todos seus pares no município de Rolim de Moura, destacando a presença do Presidente da Câmara, Vereador João Rossi Júnior “Juninho”, dos Vereadores Sérgio Sequessabe, Vanderilo Nogueira, Roberto Diniz, além do vereador licenciado Rodnei Paes, que hoje responde pela Superintendência do Esporte e Turismo do Governo do Estado e, que esteve presente tanto no seminário, quanto prestigiando a eleição da Ucaver

Campeão da Copa de 70 confessa que vendeu medalha para comprar cocaína

 

Paulo César Caju em entrevista a Geneton Moraes Neto

Um jogador da Seleção Brasileira campeã do mundo de 1970 faz uma confissão: Paulo Cézar Lima, o Paulo Cézar Caju, revela que vendeu a medalha da Fifa de campeão do mundo e uma miniatura em ouro da Taça Jules Rimet para comprar cocaína. "Jamais eu teria de negociar e vender uma medalha tão preciosa! É uma perda enorme!. Nunca comentei com ninguém, mas agora vou me abrir" - diz, em tom de desabafo.
A revelação foi feita em entrevista que irá ao ar neste sábado, às 21h05, no DOSSIÊ GLOBONEWS, com reprise no domingo, às 15h30.
A medalha e a miniatura em ouro não foram os únicos prejuízos de Paulo Cézar com a droga: o ex-craque diz que perdeu três imóveis na zona sul do Rio. Paulo Cézar lamenta a perda dos troféus e dos imóveis, mas diz que tem um motivo para comemoração em 2015: faz quinze anos que vive totalmente afastado das drogas e do álcool. "É um negócio excepcional!". Ao final da entrevista, Paulo César dá um conselho, em tom de apelo: "Digo a quem nunca experimentou drogas: não experimente! Só isso: não experimente!. São mortais".
O envolvimento de Paulo César com a cocaína começou na França, depois que ele encerrou uma carreira vitoriosa nos campos. O vicio durou nada menos de dezessete anos. O sinal vermelho se acendeu quando uma médica francesa lhe deu um diagnóstico dramático: disse que, se continuasse como estava, Paulo César iria morrer em pouco tempo.
Hoje, Paulo César diz que só escapou vivo "do fundo do poço" porque nunca fumou. Se, na época do descontrole e da extravagância, tivesse somado o cigarro ao álcool e às drogas, ele não tem dúvidas de que estaria morto.
O trecho da entrevista em que ele faz a revelação sobre a medalha e o troféu de ouro:

GMN: Além dos apartamentos, algum outro objeto valioso você trocou por droga - alguma medalha que você tenha ganhado como jogador?

Paulo César Lima: "A medalha da Fifa de tricampeão do mundo! Você não tem ideia nem do valor nem do que ela representou e representa: o importante para mim era a cocaína.A medalha era o de menos...".

GMN: A quem você deu a medalha?
Paulo César Lima: "Não me lembro. Eu tinha também uma coleção de Moto-rádios - que eram dados ao melhor em campo. Eram um troféu - mas eu precisava da droga. Você perde a noção total do que está fazendo. Você não tem equilíbrio".
GMN: Você gostaria de ter de volta essa medalha?
Paulo Cézar: "É até difícil responder o que é que eu gostaria de ter de volta. Nem sei o que te responder - honestamente. Eu não tinha controle emocional. Jamais eu teria de negociar e vender uma medalha tão preciosa! É uma perda enorme!". Nunca comentei com ninguém, mas agora vou me abrir: passei à frente também a Jules Rimet, por causa da droga. A Jules Rimet - que ganhamos! ( uma miniatura em ouro da Taça Jules Rimet foi dada a cada jogador da seleção brasileira campeã do mundo de 1970 pelo governo de São Paulo ). Passei para um brasileiro - que era marchand e ourives. Levei para ele - que me deu um bom dinheiro. Comprei uma quantidade suficiente para usar por um bom período. A Jules Rimet foi embora também...Por que fui experimentar as drogas? Não sei como. Eu - que nunca fui drogado nem fui alcóolatra - fui experimentar essa maldita cocaína e esse maldito álcool. Não sei por quê!. A quem tem filhos, a quem nunca experimentou, eu digo: não experimente! É duro, é duro, é duro".

EU TAMBÉM RESOLVO

Descor

Por Vinicius de Oliveira do Porvir

crédito: Vepar5 / Shutterstock
crédito: Vepar5 / Shutterstock© Fornecido por Catraca Livre crédito: Vepar5 / Shutterstock
Redesenho do sistema educacional da Finlândia.

Experimentar e não ter medo de falhar é um lema repetido com certa frequência por empreendedores. Na educação, até pelo número de envolvidos diretamente no processo, a estratégia costuma ser deixada de lado. Não na Finlândia. Apesar de figurar entre os 10 melhores em ciências e leitura no PISA (sigla em inglês para Programa Internacional de Avaliação de Alunos, exame realizado pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico), o país começa a pôr em prática uma nova maneira de ensinar, na qual disciplinas e o conteúdo perdem espaço para competências e alunos ganham papel ativo na avaliação.
Na última semana, uma reportagem do jornal britânico The Independent trouxe pistas sobre o novo plano finlandês: tópicos, como “mudança climática” e “centenário da independência da Finlândia” começam a receber mais ênfase do que a transmissão de conteúdo por meio da rigidez das disciplinas. Em um passo além do que hoje acontece por no mínimo dois períodos ao ano nas chamadas “aulas de fenômenos”, a grade horária se torna mais flexível para que o estudante entre em contato com conceitos de economia, história, geografia e línguas estrangeiras de modo transversal com a ajuda de temas do cotidiano. A partir de 2016, novas diretrizes curriculares vão induzir a implantação de aulas e práticas colaborativas com diversos professores trabalhando simultaneamente com um mesmo grupo de alunos. Na capital do país, Helsinque, 10 escolas já aplicam essa metodologia, enquanto outras dão os primeiros passos.
Para saber mais sobre as mudanças em curso, Porvir conversou com Marjo Kyllönen, secretária de educação da cidade, a maior rede do país, com 198 escolas, 36.000 alunos e 3.000 professores. Kyllönen explica que o plano é mudar o foco, sair do ensino tradicional que forma indivíduos prontos para obedecer e partir para uma solução inovadora que ajude no progresso da sociedade finlandesa. A representante de Helsinque detalha ainda mudanças no modo de avaliar professores, que passariam a ter feedback da própria classe. Medo de dar errado? “Eu não tenho medo. Esse novo jeito de ensinar permite resultados muito melhores em diferentes áreas, porque você passa a aprender sobre determinado tema para a vida e não somente para a escola”. Leia a entrevista completa aqui.

sexta-feira, 17 de abril de 2015

MEDO DO LEÃO OU HONESTIDADE?

Fale mais, Sibá! Fale sempre

!

Ontem, Sibá foi original ao comentar a prisão do ex-tesoureiro do seu partido João Vaccari Neto
Ricardo Noblat
O líder do PT na Câmara, deputado Sibá Machado (AC), destaca-se no Congresso por ser uma pessoa divertida até quando aparentemente fala sério.
Foi assim outro dia ao acusar a CIA, agência de espionagem do governo americano, de estar por trás das manifestações de rua contra o governo Dilma.
Diga-se a favor de Sibá que ele não é o único petista a pensar assim.
Ontem, Sibá foi original ao comentar a prisão do ex-tesoureiro do seu partido João Vaccari Neto:
- Acho que é uma prisão política. Estamos extremamente desconfiados de que existe uma orientação deliberada nessas delações premiadas para prejudicar o Partido dos Trabalhadores.
E garantiu por fim:
- Não tem constrangimento [para o PT a prisão de Vaccari]. Não temos culpa nenhuma. Não aceitamos as acusações que foram apresentadas.
Sibá está certo. Já se foi o tempo em que algo embaraçoso seria capaz de constranger o PT.Burro feliz
Deputado federal, Sibá Machado (PT-AC)  (Foto: Luis Macedo / Agência Câmara)Deputado federal, Sibá Machado (PT-AC) (Foto: Luis Macedo / Agência Câmara) 

Governo mente quando diz que combate a corrupção, diz Joaquim Barbosa

   De acordo com o ex-ministro, é o trabalho dos investigadores da PF, dos promotores e da Justiça que tem descoberto e desbaratado estes escândalos (Ueslei Marcelino/Reuters)

SÃO PAULO - O ex-ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Joaquim Barbosa, disse que o governo da presidente Dilma Rousseff (PT) mente quando diz que combate a corrupção. De acordo com ele, quem faz esse trabalho é a Polícia Federal, o Ministério Público e o sistema judiciário.
Em palestra sobre ética e administração no centro de convenções Centrosul, Barbosa foi efusivamente aplaudido nos momentos em que falou sobre a corrupção e o PT. Ele rebateu o argumento amplamente explorado pela presidente em seus discursos de que nunca se combateu tanto a corrupção e que se os escândalos hoje aparecem é porque não são varridos para debaixo do tapete como ela alega que ocorria nos tempos do predecessor de Lula, Fernando Henrique Cardoso (PSDB).
De acordo com o ex-ministro é o trabalho dos investigadores da PF, dos promotores e da Justiça que tem descoberto e desbaratado estes escândalos. O governo, na sua avaliação não teria "nada a ver com isso". Ele ainda qualificou a postura do governo no tema como "cínica". "Eles alegam: nós não inventamos a corrupção, sempre houve corrupção na vida brasileira, ou seja, é como se tivesse chegado a vez dele", ironizou.
No fim, Barbosa falou sobre ter votado duas vezes em Lula e uma em Dilma por ter esperança de que o partido fosse diferente dos outros e tivesse o poder de moralizar a política. Contudo opinou que esta mesma "fé" foi responsável por permitir que pessoas dentro do partido usassem o governo para enriquecer de maneira ilícita, uma vez que a "visão messiânica" de que o partido era imune à corrupção permitiu com que eles tivessem a ilusão de impunidade.  Ueslei Marcelino/Reuters De acordo com o ex-ministro, é o trabalho dos investigadores da PF, dos promotores e da Justiça que tem descoberto e desbaratado estes escândalos Ueslei Marcelino/Reuters De acordo com o ex-ministro, é o trabalho dos investigadores da PF, dos promotores e da Justiça que tem descoberto e desbaratado estes escândalos Ueslei Marcelino/Reuters De acordo com o ex-ministro, é o trabalho dos investigadores da PF, dos promotores e da Justiça que tem descoberto e desbaratado estes escândalos

Brasileiro fala de guerra pelos EUA e diz que conheceu 'sniper americano'


Entre tantas tatuagens no braço direito do brasileiro Francesso Tessitore, duas chamam atenção: o nome "US Marine", que demonstra devoção a um dos ramos das Forças Armadas dos Estados Unidos, e um tributo ao maior franco-atirador da história do país, Chris Kyle, conhecido por deixar 160 inimigos mortos em operações de guerra.

A tatuagem de caveira no corpo do militar é símbolo da história de Kyle, retratada no filme "Sniper Americano" (2014). O brasileiro, inclusive, afirma ter conhecido o atirador em Fallujah, cidade palco de um dos conflitos mais sangrentos durante a Guerra do Iraque.
Por sonho, brasileiro foi à guerras pelas Forças Armadas dos EUA  (Foto: Reprodução/ TV  Vanguarda)Por sonho, brasileiro foi à guerras pelas Forças
Armadas (Foto: Reprodução/ TV Vanguarda)
“Tive a oportunidade de conhecer Chris Kyle, porque ‘limpávamos’ [varredura em busca de inimigos e para proteção de civis] Fallujah e tínhamos que saber onde estavam os snipers. Nós tivemos uma reunião e conheci ele, de bater um papo mesmo. Foi bem no comecinho da carreira dele também”, afirma. A batalha em Fallujah foi a primeira do atirador americano e é uma das principais cenas do longa-metragem, vencedor do Oscar por melhor direção de som neste ano.

Segundo ele, a homenagem ao "sniper" foi motivada pela importância do trabalho dele para os militares americanos em campo de batalha. Kyle foi morto em 2013, pelas mãos de um fuzileiro naval, quando estava em processo de recuperação do período pós-guerra. “A morte dele nos afetou  muito. Tivemos muitos amigos, às vezes até eu mesmo, que foram salvos por ele”, lembra o brasileiro.

Daniel CorráDo G1 Vale do Paraíba e Região
------------------------------------------------------------------------------------------
Um Sniper - em português chamado de atirador especial ou franco-atirador - é um militar ou membro da força policial que é especializado em armas e tiro de longa distância.


muito. Tivemos muitos amigos, às vezes até eu mesmo, que foram salvos por ele”, lembra o brasileiro

DIREITO MÉDICO

Alta hospitalar

Por: CÂNDIDO OCAMPO

742015-121143-ocampo_nova.png
Ao ser internado em qualquer unidade de saúde, pública ou privada, o paciente tem direito ao médico assistente (Resolução nº 1.493/98 do Conselho Federal de Medicina), profissional que vai tentar identificar e curar seu quadro nosológico, acompanhando sua evolução desde a internação até a alta.

O assistente, por definição, é o médico responsável pelo enfermo, possuindo prerrogativa para determinar a conduta que achar pertinente, tudo dentro dos parâmetros científicos e éticos de sua atividade.

Essa prerrogativa, no entanto, encontra limite no exato instante em que começa a autonomia da pessoa humana, pois é vedado ao médico “desrespeitar o direito do paciente ou de seu representante legal de decidir livremente sobre a execução de práticas diagnósticas ou terapêuticas, salvo em caso de iminente risco de morte”. (art. 31 do Código de Ética Médica).

Diante desse cruzamento de direitos e obrigações, pode ocorrer que o enfermo não queira mais permanecer internado, mesmo com orientação médica em contrário.

Não estando em risco sua vida, maior de idade e tendo capacidade de se auto-determinar, o médico e o nosocômio nada podem fazer a não ser permitir que o paciente se vá. Não sem antes fazê-lo (ou seu representante legal) assinar um termo de responsabilidade, após ser clara e fartamente informado das possíveis consequências do seu ato e da necessidade de permanecer internado. Esta ocorrência deve constar no prontuário.

Caso a suspensão do tratamento possa expor o paciente a risco iminente de morte, entendemos que não deve o hospital permitir sua saída intempestiva, nem por sua vontade e muito menos pela de seu representante legal (no caso de inconsciência), devendo invocar as autoridades públicas se houver necessidade, pois a vida é o bem maior e a ordem jurídica vigente não permite sua disposição, nem mesmo pelo seu titular.

Observem caros leitores, que aqui não está se tratando de casos de doenças terminais e incuráveis, que requer condutas específicas.

Em se tratando de criança, mesmo não sendo caso de perigo iminente de morte, somos de opinião que o nosocômio não deve permitir sua saída se este fato contraria a orientação médica, pondo em risco sua saúde.

Neste caso, cabe ao hospital notificar o Conselho Tutelar e ao Juízo da Infância e Juventude que tomarão a decisão que melhor atenda aos interesses do infante e punirá, sendo o caso, o representante legal inconsequente.

A alta hospitalar é um ato exclusivamente médico, que deve ser procedido sob a mais criteriosa orientação técnica.
Diferentemente do que pregam alguns (inclusive entidades médicas), a chamada “alta a pedido” não existe, pois quando o paciente, contrariando orientação médica, deixa o hospital não é outra coisa senão abandono do tratamento.

Por tais razões, deve o fato ser ricamente documentado para que no futuro não pairem dúvidas sobre responsabilidades a ser, eventualmente, apuradas.

O autor é advogado atuante no ramo do Direito Médico.
candidoofernandes@bol.com.br
Fonte: Cândido Ocampo
Autor: Cândido Ocampo