segunda-feira, 2 de março de 2015

Unidade de estabilização é inaugurada em Rolim de Moura



A unidade servirá para estabilizar pacientes graves até a transferência para uma UTI.
Fonte: Da Assessoria para o Rolnews
Publicado por: Portal Rolnews em 02/03/2015 às 06:06:16
A Prefeitura de Rolim de Moura inaugurou no último sábado (28) pela manhã a primeira unidade de estabilização da região da Zona da Mata, no hospital municipal Amélio João. O espaço é equipado com respiradores e demais máquinas que servem para estabilizar pacientes graves até a transferência para uma UTI. A capacidade de atendimento é de quatro leitos, um deles de isolamento.
 
O prefeito rolimourense, Cesar Cassol, descerrou a placa inaugural da unidade ao lado de vereadores do município, do senador Valdir Raupp, da deputada Marinha Raupp, do diretor do hospital municipal, Célio Candil e da secretária municipal de saúde, Nerdilei Pereira. Médicos, servidores municipais e empresários também acompanharam a cerimônia.
 
A maioria dos equipamentos que integram a unidade, a conclusão do prédio e o treinamento dos profissionais que vão trabalhar no local foi custeado por empresas do Grupo Cesar Energia. Durante a cerimônia, a secretária de saúde assinou o recebimento do termo de doação, emitido pela diretora do grupo, Poliane Cassol, filha do prefeito.
 
Em seu discurso, Cesar lembrou que o investimento fora um compromisso pessoal de sua família com a saúde de Rolim de Moura. “Qualquer um de nós pode precisar desse espaço. Tomara que ninguém precise, mas nossa cidade merece uma unidade assim. Não gosto de falar em valores. O que sei é que se salvar uma vida já o investimento já será válido”, argumentou.
 
O prefeito também recebeu das mãos da deputada Marinha um documento com o compromisso de alocação de R$ 3 milhões do Governo Federal para iniciar a construção do novo hospital regional de Rolim de Moura. A obra está em fase de projetos e deve custar mais de R$ 7 milhões, com a capacidade total de 250 leitos e construção prevista para iniciar ainda este ano.
 
A unidade de estabilização deverá iniciar o atendimento aos pacientes de Rolim de Moura e região nos próximos dias, após cumprir todos os requisitos sanitários. Médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem passarão por treinamento específico para cumprir os plantões do espaço que vai funcionar de forma ininterrupta.

Confira abaixo lista completa com nomes e fotos de políticos envolvidos: OPERAÇÃO LAVA JATO

 

PETISTAS CITADOS NOS DEPOIMENTOS: EX-MINISTRO JOSÉ DIRCEU, EX-MINISTRO ANTONIO PALOCCI, SENADORA E EX-MINISTRA GLEISI HOFFMANN (PR), SENADOR HUMBERTO COSTA (PE), GOVERNADOR DO ACRE TIÃO VIANA, SENADOR LINDBERGH FARIAS (RJ), SENADOR DELCÍDIO AMARAL (MS), DEPUTADO CASSADO ANDRÉ VARGAS (PR), DEPUTADO CÂNDIDO VACCAREZZA (SP) E DEPUTADO VANDER LOUBET (RS)

O PMDB TAMBÉM CONTRIBUIU BASTANTE: PRESIDENTE DO SENADO, RENAN CALHEIROS (AL), EX-PRESIDENTE DA CÂMARA HENRIQUE ALVES (RN), ATUAL PRESIDENTE DA CÂMARA, EDUARDO CUNHA (RJ), EX-GOVERNADOR DO RIO SÉRGIO CABRAL, ATUAL GOVERNADOR DO RIO, PEZÃO, SENADOR ROMERO JUCÁ (RO), EX-GOVERNADORA DO MARANHÃO ROSEANA SARNEY, EX-MINISTRO E SENADOR EDISON LOBÃO (MA), SENADOR VALDIR RAUPP (RO) E ALEXANDRE JOSÉ DOS SANTOS (RJ)

O PP, MAIOR BANCADA DO PETROLÃO, TEM 12 NOMES: SENADOR CIRO NOGUEIRA (PI), DEPUTADA ALINE CORRÊA (SP), EX-MINISTRO MÁRIO NEGROMONTE E SEU IRMÃO ADARICO NEGROMONTE (BA), DEPUTADO LUIZ FERNANDO FARIA (MG), DEPUTADO JOÃO PIZZOLATTI (SC), SENADOR FRANCISCO DORNELLES (RJ), DEPUTADO CASSADO PEDRO CORRÊA (SP), DEPUTADO NELSON MEURER (PR), DEPUTADO JOSÉ OTÁVIO GERMANO (RS), DEPUTADO SIMÃO SESSIM (PR) E SENADOR BENEDITO DE LIRA (AL)

OUTROS ENROLADOS NA LAVA JATO E QUE DEVEM TER O NOME LEVADO AO STF SÃO O MINISTRO DA EDUCAÇÃO, CID GOMES (CENTRO), EX-DEPUTADO LUIZ ARGÔLO (SD-BA), SENADORES ANTONIO ANASTASIA (PSDB-MG) E FERNANDO COLLOR (PTB-AL), O DEPUTADO ESTADUAL LUIZ FERNANDO TEIXEIRA (PT-SP), ALÉM DOS FALECIDOS PERNAMBUCANOS SÉRGIO GUERRRA (PSDB) E EDUARDO CAMPOS (PSB)

'Pia mermo', pegaram o filho d

CORTANDO PREGO

Cortando prego - Termo bastante utilizado no Ceará e em outros estados Nordestinos criando-se o mito popular do indivíduo ficar tão nervoso que a musculatura anal se contrairia de tal forma a "cortar" um prego .
Essa é a situação de vários políticos que estão com os nomes citados nos depoimentos sobre a Operação Lava Jato como beneficiários do esquema de propina, e é motivado devido a provável entrega pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot,   de pedidos de abertura de investigação e eventuais denúncias contra políticos suspeitos de envolvimento no esquema de corrupção da Petrobras,  entre a próxima terça, 02/03 e quarta-feira 03/03.  

As solicitações referentes a senadores e deputados serão analisadas pelo ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), já que são cargos com foro privilegiado na Corte. Eventuais indícios de crimes cometidos por governadores serão investigados em inquérito sob a relatoria do ministro Luís Felipe Salomão, do Superior Tribunal de Justiça (STJ).


MATÉRIA DO FANTASTICO

Fantástico mostra situação alarmante dos postos de saúde brasileiros

• Leia a reportagem

domingo, 1 de março de 2015

Juliana Salimeni Nua - NÃO OLHE


Juliana Salimeni - Making Of Playboy por MySpaceBarIsBroken
Vídeo mostra Juliana Salimeni Nua, mostrando tudo para os fotógrafos da revista Playboy.
Afinal é muito melhor ver o vídeo com a musa do que só as fotos dela pelada nas páginas.
Juju Salimeni no ensaio da Mancha Verde (Foto: Leo Franco / AgNews)sa da Mancha Verde, Juju Salimeni usou um vestido que deixou dúvidas sobre o fato de estar ou não usando calcinha

A miséria da política

 Fernando Henrique CardosoFernando Henrique Cardoso

ex-presidente da República

Será que a lógica do marquetismo eleitoral continuará a guiar os passos da presidente e do seu partido?
Otimista por temperamento com os necessários freios que o realismo impõe raramente me deixo abater pelo desalento. Confesso que hoje, no entanto, quase desanimei: que dizer, que recado dar diante (valham-me os clássicos) de tanto horror perante os céus?
Na procura de alento, pensei em escrever sobre situações de outros países. Passei o carnaval em Cuba, país que visitava pela terceira vez: a primeira, na década de 1980, quando era senador. Fui jurado em um prêmio Casa de las Américas.
Voltei à Ilha como presidente da República. Vi menos do povo e dos costumes do que na vez anterior: o circuito oficial é bom para conhecer outras realidades, não as da sociedade. Agora visitei Cuba como cidadão comum, sem seguranças, nem salamaleques oficiais. Fui para descansar e para admirar Havana, antes que o novo momento econômico de relações com os Estado Unidos a modifique muito.
Não fui, portanto, para avaliar a situação política (sequer possível em sete dias) nem para me espantar com o já sabido, de bom e de mau, que lá existe. Não caberia, portanto, regressar e fazer críticas ao que não olhei com maior profundidade.
Os únicos contatos mais formais que tive foram com Roberto Retamar (poeta e diretor da referida Casa de las Américas), com o jornalista Ciro Bianchi e com o conhecido romancista Leonardo Padura.
Seu livro “El Hombre que amaba los perros”, sobre a perseguição a Trotski em seu exílio da União Soviética, é uma admirável novela histórica. Rigorosa nos detalhes, aguda nas críticas, pode ser lida como um livro policial, especialidade do autor, que, no caso, reconstitui as desventuras do líder revolucionário e o monstruoso assassinato feito a mando de Stálin.
Jantei com os três cubanos e suas companheiras. Por que ressalto o fato, de resto trivial? Porque, embora ocupando posições distintas no espectro político da Ilha, mantiveram uma conversa cordial sobre os temas políticos e sociais que iam surgindo.
A diversidade de posições políticas não tornava o diálogo impossível. Eles próprios não se classificavam, suponho, em termos de “nós” e “eles”, os bons e os maus.
Por outra parte, ainda que o cotidiano dos cubanos seja de restrições econômicas que limitam as possibilidades de bem-estar, em todos os populares com quem conversei, senti esperanças de que no futuro estariam melhores: o fim eventual do embargo, o fluxo de turistas, a liberdade maior de ir e vir, as remessas aumentadas de dinheiro dos cubanos da diáspora, tudo isso criou um horizonte mais desanuviado.
É certo que nem em todos os contatos mais recentes que tive com pessoas de nossa região senti o mesmo ânimo. Antes de viajar, recebi a ligação telefônica da mãe de Leopoldo Lopes, oposicionista venezuelano que cumpriu um ano de cadeia no dia 18 de fevereiro.
Ponderada e firme, a senhora me pediu que os brasileiros façamos algo para evitar a continuidade do arbítrio. Ainda mantém esperanças de que, ademais dos protestos no Congresso e na mídia, alguém do governo entenda nosso papel histórico e grite pela liberdade e pela democracia.
Esta semana foi a vez de Enrique Capriles me telefonar para pedir solidariedade diante de novos atos de arbítrio e truculência em seu país: o prefeito Antonio Ledezma, eleito ao governo do Distrito Metropolitano de Caracas pelo voto popular, havia sido preso dias antes em pleno exercício de suas funções.
Não bastasse, em seguida houve a invasão de vários diretórios de um partido oposicionista. Note-se, como me disse Capriles, que Ledezma não é um político exaltado, que faz propostas tresloucadas: ele, como muitos, deseja apenas manter viva a chama democrática e mudar pela pressão popular, não pelas armas, o nefasto governo de Nicolás Maduro. Esperamos todos que o desrespeito aos direitos humanos provoque reações de repúdio ao que acontece na Venezuela.
Até mesmo os colombianos, depois de meio século de luta armada, vão construindo veredas para a pacificação. As Farc e o governo vêm há meses, lenta, penosa mas esperançadamente abrindo frestas por onde possa passar um futuro melhor.
Amanhã, segunda-feira, 2 de março, o presidente Santos e outras personalidades, entre as quais Felipe González, estarão reunidos em Madri num encontro promovido por “El País” ( ao qual não comparecerei por motivos de força maior) para reafirmar a fé na paz colombiana.
Enquanto isso, nós que estamos longe de sofrer as restrições econômicas que maltratam o povo cubano ou os arbítrios de poder que machucam os venezuelanos, eles também submetidos à escassez de muitos produtos e serviços, nos afogamos em copo d’água.
Por que isso, diante de uma situação infinitamente menos complexa? Por que Lula, em lugar de se erguer ao patamar que a história requer, insiste em esbravejar, como fez ao final de fevereiro, dizendo que colocará nas ruas as hostes do MST (pior, ele falou nos “exércitos”...) para defender o que ninguém ataca, a democracia e — incrível — para salvar a Petrobras de uma privatização que tucano algum deseja?
Por que a presidente Dilma deu-se ao ridículo de fazer declarações atribuindo a mim a culpa do petrolão? Não sabem ambos que quem está arruinando a Petrobras (espero que passageiramente) é o PT que, no afã de manter o poder, criou tubulações entre os cofres da estatal e sua tesouraria?
Será que a lógica do marquetismo eleitoral continuará a guiar os passos da presidente e de seu partido? Não percebem que a situação nacional requer novos consensos, que não significam adesão ao governo, mas viabilidade para o Brasil não perder suas oportunidades históricas?
Confesso que tenho dúvidas se o sentimento nacional, o interesse popular, serão suficientes para dar maior têmpera e grandeza a tais líderes, mesmo diante das circunstâncias potencialmente dramáticas das quais nos aproximamos. Num momento que exigiria grandeza, o que se vê é a miséria da política.
Dilma Rousseff e o marqueteiro João Santana (Foto: Divulgação)Dilma Rousseff e o marqueteiro João Santana (Imagem: Divulgação)

sábado, 28 de fevereiro de 2015

FIQUE COM A GOSTOSA KAROL NAKAMURA E ATÉ SEGUNDA-FEIRA


Veja o Making Of Sexy - Carol Nakamura por informativonb

Carol Nakamura a musa do Domingão do Faustão nua pela primeira vez, emCancun. Veja o incrível Making Of da Sexy, com a mais sensual das assistentes de palco do programa do Faustão.

Nova regra do seguro-desemprego vale para demitidos a partir de sábado

Do G1, em São Paulo
A nova regra do seguro-desemprego começa a valer para quem for demitido a partir deste sábado (28), segundo informou o Ministério do Trabalho. Portanto, as mudanças valerão para esses trabalhadores que darão entrada no pedido a partir desta segunda-feira (2).
"A vigência da Medida Provisória [que estabelece as novas regras] começará 60 dias a partir da data da publicação. Sendo assim, as novas regras incidirão nos trabalhadores demitidos a partir do dia 28 de fevereiro de 2015", diz o Ministério do Trabalho.
Com as mudanças, o trabalhador que solicitar o benefício pela primeira vez deverá ter trabalhado por 18 meses nos 24 meses anteriores.
De acordo com as novas regras, na segunda solicitação do benefício, ele terá de ter trabalhado por 12 meses nos 16 meses anteriores e, a partir da terceira solicitação, terá de ter trabalhado, pelo menos, por seis meses ininterruptos nos 16 meses anteriores.
De acordo com o Ministério da Fazenda, na primeira solicitação, o trabalhador poderá receber quatro parcelas se tiver trabalhado entre 18 e 23 meses nos 36 meses anteriores. Poderá receber cinco parcelas se tiver trabalhado a partir de 24 meses nos 36 meses anteriores. Já na segunda solicitação, ele poderá receber quatro pardelas se tiver trabalhado entre 12 e 24 meses nos 36 meses anteriores.
A partir da terceira solicitação do seguro-desemprego, vale a regra anterior, que prevê o recebimento de três parcelas para quem trabalhou entre 6 e 11 meses nos 36 meses anteriores. Para receber quatro parcelas do seguro-desemprego, ele terá de ter trabalhado entre 12 e 23 meses nos 36 meses anteriores e, para receber cinco parcelas, terá de ter trabalhado por, pelo menos, 24 meses nos 36 meses anteriores.
Outras mudanças
Também começa a valer em março um novo cálculo que reduzirá o valor da pensão por morte (do patamar de 100% do salário de benefício para 50% mais 10% por dependente até o limite de 100% e com o fim da reversão da cota individual de 10%).
Outra mudança é a vitaliciedade do benefício. Cônjuges “jovens” não receberão mais pensão pelo resto da vida. Pelas novas regras, o valor será vitalício para pessoas com até 35 anos de expectativa de vida – atualmente quem tem 44 anos ou mais. A partir desse limite, a duração do benefício dependerá da expectativa de sobrevida.
Desse modo, o beneficiário que tiver entre 39 e 43 anos receberá pensão por 15 anos. Quem tiver idade entre 33 e 38 anos obterá o valor por 12 anos. O cônjuge com 28 a 32 anos terá pensão por nove anos. Quem tiver entre 22 e 27 anos receberá por seis anos. E o cônjuge com 21 anos ou menos receberá pensão por apenas três anos.
Já entrou em vigor no dia 14 de fevereiro uma das novas regras anunciadas pelo governo para a pensão por morte. Com a mudança, só tem direito ao benefício quem conta com pelo menos dois anos de casamento ou união estável. A legislação anterior não estabelecia um prazo mínimo para a união.
As mudanças na pensão por morte fazem parte de um pacote de medidas provisórias anunciadas pelo governo no final do ano passado para tornar mais rigoroso o acesso da população a uma série de benefícios previdenciários. As mudanças não afetam quem já recebe o benefício.
Já no dia 30 de dezembro, entrou em vigor a alteração que estabelece que deixa de ter à pensão o dependente condenado pela prática de crime que tenha resultado na morte do segurado.


Pai Nosso - Mateus 6:9-13 - A Bíblia Cantada


Maragogipe: Chanchada do PT vira drama na terra de Zé Trindade

 Por - Vitor Hugo Soares

É jornalista, editor do site blog Bahia em Pauta. E-mail: vitor_soares1@ terra.com.br

Uma chanchada eleitoral com todos os ingredientes para terminar em clamoroso desastre social
Neste sábado, 28, fim de fevereiro para não esquecer, o Consórcio Estaleiros Paraguaçu(CEP) - formado pelas empreiteiras OAS, UTC e Odebrecht -  confirma o triste desenlace de um engodo anunciado: o encerramento das atividades na obra monumental de engenharia naval em Mararagogipe, coração do Recôncavo Baiano. Prometia empregar 5 mil pessoas na fase de construção e mais 6 mil em seguida à inauguração, anunciada para o ano eleitoral de 2014.
O megaempreendimento de infraestrutura nacional, realizado na Bahia, foi vendido pelo governo federal, desde o lançamento da pedra fundamental em julho de 2012, como sonho dourado no Nordeste. Atravessou assim a campanha que reelegeu presidente da República a petista Dilma Rousseff. De quebra, fez de Rui Costa (empurrado pelo muque do então ocupante do Palácio de Ondina e atual ministro da Defesa, Jaques Wagner) governador do estado já no primeiro turno.
A miragem de R$ 2 bilhões prometida com pompa e circunstância, em badalação sem tamanho no lançamento da pedra fundamental, foi um festival de guisos e euforia. Presentes Dilma, Wagner, Rui, Graça Foster, Gabrielli e a nata do poder no governo petista. Todos ao lado de poderosos empresários nacionais e estrangeiros, acatados executivos de empresas (antes da Lava Jato), prefeitos, parlamentares e a gente humilde e trabalhadora do lugar.
Tudo, ou quase, desmorona agora em meio ao silêncio quase completo. De omissão ou cumplicidade.
Propagava-se o ressurgimento da indústria pesada Off-Shore na Bahia (plataformas e equipamentos para exploração, transporte e distribuição de petróleo). Tudo antes de explodir a Lava Jato, que arrola corruptos e corruptores no maior escândalo da história brasileira e tem como pano de fundo a Petrobras, empresa do coração de todos. Executivos das empresas brasileiras do Consórcio estão presos, há meses, na carceragem da PF em Curitiba. Dilma, então, disse em seu discurso sobre a construção do estaleiro, "ser esse o jeito - diferentemente dos europeus - do governo brasileiro enfrentar a crise econômica: criando mais emprego e promovendo desenvolvimento". Uma peça histórica de retórica e enganação, que está na Internet e merece consulta.  
O saudoso humorista Zé Trindade, honra da Era de Ouro do Rádio e glória do chamado cinema de chanchada no Brasil, fez o seu povo sorrir e espantar o mau humor durante décadas. Mesmo em épocas as mais bicudas, e em governos os mais caóticos e mais desastrados, ou os mais intolerantes, partia dele a tirada, a galhofa, o chiste ou a piada que levava à gargalhadas, ajudava sua gente a suportar e resistir ao tranco.
Zé Trindade usava duas expressões que funcionavam como cartão de visita em suas apresentações e filmes. A primeira era uma espécie de registro de identidade geográfica e afetiva que ele afirmava alto e bom som em todo lugar: "Eu sou baiano de Maragogipe!", marca registrada ainda mais engraçada pelo o acento genuíno que o artista emprestava ao pronunciar o nome da sua cidade.
A segunda, de cunho político e social (além de alcance nacional), era um bordão crítico. Provavelmente, se vivo estivesse, o fabuloso humorista o estaria repetindo com frequência nestes dias cavernosos do segundo mandato presidencial da petista Dilma Rousseff: "Nossa situação é lamentável", dizia o maragogipano famoso, acentuando com seu sotaque e jeito inimitáveis cada sílaba da palavra la-men-tá-vel.
Difícil imaginar, apesar de seu prevalente bom humor, o sentimento de Zé Trindade, diante do quadro destes dias em sua terra. Gritos de desempregados e familiares que se multiplicam. Choro de desiludidos e indignados diante da situação que se delineia na véspera do encerramento das atividades no estaleiro do Paraguaçu, como mostrou ontem a Tribuna da Bahia, em esclarecedora reportagem.       
Ô, Bahia! É triste, dramático até em algumas passagens. Mas é necessário relembrar sem esconder ou escamotear fatos, a tragicomédiaque se desenrola em Maragogipe. Uma chanchada eleitoral com todos os ingredientes para terminar em clamoroso desastre social na terra de Zé Trindade. A conferir.
Estaleiro Paraguaçu, em Maragogipe encerra atividades neste sábado (Foto: Divulgação)Estaleiro Paraguaçu, em Maragogipe encerra atividades neste sábado (Imagem: Divulgação)

ESPAÇO CUltural

 
Por volta do Século III d.C. criou-se então o verbo "fornicare", que seria o ato de frequentar esse lugar. Temos esta palavra no português, que se originou do latim. O caso é que no português, há séculos, por conta da igreja, tornou-se delicadamente diferente, porém vital o significado dessa palavra. Naquela época às leis da Judeia, considerava-se ilícita a prática de sexo antes do casamento. Atualmente as regras religiosas e civis foram separadas, de modo que não existe na legislação brasileira nenhuma norma que proíba o sexo antes do casamento, ou ainda que considere inválido esse casamento por um deles não ser mais virgem

Faz diferença beber aos 17 ou aos 18 anos?

 

bebida tributada
A venda de bebida alcoólica para menores pode deixar de ser só uma contravenção penal para se tornar crime. Mas, afinal de contas, faz tanta diferença assim deixar alguém beber antes ou depois dos 18 anos?
Em termos fisiológicos, as diferenças entre um garoto de 17 e um de 18 anos são sutis e podem variar bastante entre as populações. Mas está claro que, quanto mais jovem for o indivíduo, mais exposto ele estará aos riscos do consumo de álcool.
O cérebro só se forma completamente no fim da adolescência. E substâncias químicas como o álcool e as drogas podem afetar de forma mais acentuada as vias neurais em desenvolvimento.
Por outro lado, muitos jovens são mais imunes aos efeitos tóxicos da bebida – você já deve ter reparado que a ressaca parece piorar com a idade. Assim, existe uma tendência a consumir quantidades maiores, o que aumenta o risco de dependência.
É pouco provável que criminalizar a venda de álcool para menores faça com que os adolescentes deixem de beber. Apesar de provocar danos cognitivos, acidentes graves e causar vício, essa é a substância à qual eles ainda têm maior acesso.
A questão é que ainda prevalece, no país, uma cultura de que não tem nada demais um garoto de 15 ou 16 anos tomar cerveja ou vinho no almoço de família. Para alguns pais, é até sinal de virilidade.
Essa noção é que pode, sim, ser modificada com regras mais claras para a venda e consumo de bebida. Isso não se modifica da noite para o dia, mas pode fazer a diferença no futuro, da mesma forma que ninguém mais, hoje, ousa acender um cigarro na sala de aula.

Por Jairo Bouer - Jairo Bouer (São Paulo, 30 de novembro de 1965) é um médico, educador,palestrante e escritor . Médico psiquiatra formado pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), e pelo Instituto de Psiquiatria da mesma universidade.


CLIQUE EM 25 DE FEVEREIRO



0:37/1:13
1.395.133 visualizações
Este é o recado do Senador Alvaro Dias para os caminhoneiros do Brasil. Clique em "opções", baixe o vídeo e envie para seus contatos no "Whatasapp"

HOJE, 27/02 É O ANIVERSÁRIO DO PARAIBINHA

 

Meus sinceros parabéns meu caro amigo Paraibinha Advogado  (Airton Pereira de Araújo), por mais um aniversário, que essa data se repita por muitos e muitos  anos. Eu costumo dizer que a amizade é inefável.Portanto digo sem medo de errar que você é meu amigo e, como inefável é aquilo que não pode ser dito com palavras, tem que ser demonstrado, nada mais verdadeiro que a nossa amizade. Você costuma me comparar com o personagem da Escolinha do Professor Raimundo, Sandoval Quaresma e em tese você tem razão, mas tenho que dizer para aqueles que não tem o mesmo prazer de ser seu amigo, que a nossa amizade não foi pega a laço, dente de cachorro e nem tem c. pelo meio. É uma amizade fraterna de homem para homem.

É SÓ UM ESCLARECIMENTO TÉCNICO NECESSÁRIO

Ao publicar a matéria, Hospital do município ganha unidade de estabilização neste sábado. Enviada pelo chefe de gabinete da Prefeitura de Rolim de Moura, jornalista Denis Farias, sinto-me na obrigação de fazer alguns comentário a respeito da Unidade de Estabilização que será inaugurada amanhã, 28/02, as 9:oo horas.

Quero deixar bem claro que como cidadão  sou totalmente favorável a essa Unidade de Semi-terapia Intensiva e aproveito a oportunidade para parabenizar o prefeito César Cassol por esse feito humanitário do ponto de vista de saúde pública. 

Com certeza a partir do seu funcionamento vidas serão salvas e isso tem que ser reconhecido e aplaudido. 

Por outro lado na condição de Inspetor Sanitário Estadual da AGEVISA/SESAU, lotado na V GRS, não posso deixar de informar que o funcionamento dessa Unidade vai depender de um parecer técnico da AGEVISA. 

Até por que ela, a AGEVISA, não foi consultada sobre a sua legalidade ou não. Tenho informação que a Secretária Municipal de Saúde alertou o prefeito nesse sentido, mas não foi ouvida.

Esse tipo de Unidade de Saúde para seu funcionamento necessita de cumprir uma série de exigências do Ministério da Saúde. 

Portanto a população precisa ser avisada de que por problemas de ordem legal e burocrática, ela, a população mais uma vez venha  pagar o "pato". 

Estive verificando "in loco" e se dependesse de um parecer meu, o seu funcionamento seria de imediato, mas como depende de parecer da AGEVISA, a Gerente em exercício da V GRS de forma coerente e correta do meu ponto de vista, informou da inauguração a GTVISA/AGEVISA. 

A GTVISA é o órgão no estado encarregado de fiscalizar o funcionamento dessas Unidades de Saúde. A Gerente  solicitou ainda o envio em caráter de urgência de uma equipe de técnicos para emitir parecer sobre o funcionamento imediato ou não da Unidade.  

Aqui saio em defesa da Gerente, pois ela está apenas se resguardando e também agindo em defesa da população, portanto está nada mais nada menos que cumprido o seu dever. 

O prefeito César Cassol não é muito afeito a burocracia e isso tem resultado em algumas medidas de ordem legais, contrarias a seu  estilo de administrar. 

Alguma dessas medidas, depois são passadas para população como represália políticas, mas  se por acaso a AGEVISA, após realizar sua inspeção, tomar alguma medida impedindo o funcionamento imediato da Unidade, até que seja resolvido o que possa está em desacordo com a legislação em vigor, essa medida    terá caráter meramente técnico. Isso  como  técnico, eu assino em baixo.

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

POR - VITOR OLIVEIRA

Eleição define mesa diretora da Câmara de Rolim para o biênio 2015/2016
 Clique para obter Opções
  
Os nomes que comporão a Mesa Diretora da Câmara Municipal de Rolim de Moura para o biênio 2015/2016, foi definida na sessão ordinária realizada nessa sexta feira, dia 27 de fevereiro de 2015, com início às 09:00 horas, logo após a votação da ordem do dia.

A eleição foi realizada devido à renúncia de um dos seus membros, bem como, a mudança no quadro de vereança, haja vista, que o primeiro Vice Presidente, Vereador Professor Rodnei Antonio Paes-PMDB, ter solicitado afastamento devido ter assumido a Superintendência da SECEL junto ao Governo do Estado de Rondônia, tornando-se vaga a primeira vice presidência, bem como, a segunda secretaria cujo membro já havia renunciado ao cargo há algum tempo.

  
Depois de lido o Regimento Interno da casa sobre o caso, o presidente da Câmara, Vereador João Rossi Júnior “Juninho” – PSD informou aos demais pares presentes, que os nomes que se apresentaram para compor a chapa, com referência aos cargos vagos, seriam os Vereadores Diego Tassi e Mani Rocha, os quais foram eleitos por unanimidade dos vereadores presentes no ato da votação, ficando assim definida a Mesa Diretora para o biênio 2015/2016: 

Presidente: João Rossi Júnior “Juninho” - PSD; 1º Vice Presidente: Rivanildo Santana de Souza “Rivanildo Riva” – PTC; 2º Vice Presidente: Fabrício Melo – PHS; 1º Secretário: Diego Tassi – DEM e 2º Secretário: Yanomani Hideki Rocha “Mani Rocha” – PSDB.